SAIR
 
AXNews
Newsletter Aluísio Xavier
 
   
Folha de São Paulo - 20/02/2011 | IMOBILIÁRIO
Gesso resolve tudo
AUMENTAR A LETRA DIMINUIR A LETRA
Na hora da reforma, material pode ser usado para increment ar a iluminação, levantar novas paredes e esconder tubulações e varão de cortina

ROSANGELA DE MOURA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

O gesso costuma assumir vários papéis na hora de dar uma cara nova ao ambiente: divide espaços, cria cenários de iluminação e dá corpo a efeitos decorativos no forro ou nas paredes.
Depois de uma reforma, também é dele a função de esconder vigas e imperfeições e embutir novas tubulações e até varões de cortina.
Nas obras, cresce o interesse de arquitetos e de decoradores pelo "drywall", sistema em que placas de gesso acartonado revestem uma estrutura de aço.
No ano passado, suas vendas cresceram 29,8% em relação a 2009, segundo a Associação dos Fabricantes de Placas de "Drywall" -especialmente para fins residenciais, diz Günter Leitner, diretor da fabricante Knauf.
Uma das aplicações mais tradicionais é usar as placas para distribuição de iluminação -confira projetos nesta página. Outra é ser uma alternativa à parede de alvenaria.
"Enquanto a de alvenaria demora uma semana para ser erguida e receber acabamento, a de gesso acartonado fica pronta em dois dias", afirma Luiz Antônio Martins, engenheiro e consultor da Associação dos Fabricantes de Placas de "Drywall".
A instalação do metro quadrado de placa de gesso acartonado custa de R$ 35 (para teto) a R$ 50 (parede).
Já a aplicação de gesso comum sai por R$ 25 por metro quadrado, em média. Ela é feita por profissionais, e o nível de sujeira é semelhante ao da raspagem de tacos.
Fabricantes de "drywall" dão cinco anos de garantia para serviços e materiais instalados de acordo com as especificações do manual.
A parede terá durabilidade maior se não houver impactos (com martelo, por exemplo) nem contato com a água.
Para quem pretende adotá-la na cozinha ou no banheiro, existem as placas verdes, para áreas úmidas.
Já as placas cor-de-rosa são indicadas para lareiras e chaminés, pois são feitas de material resistente ao fogo.
Um "recheio" que a parede pode ganhar é o de lã de vidro, para melhorar o isolamento termoacústico.

REFORÇADOS
Optar pela parede de gesso em vez da de alvenaria não impossibilita a instalação de armários, estantes e suportes para televisão. Nem o revestimento com azulejos, pastilhas e até pedras.
Para fixar esses itens na parede de gesso acartonado, porém, é preciso reforçar sua estrutura. Se ela não tiver sido projetada para isso, será preciso fazer um recorte na placa para ter acesso à estrutura -depois, a parede é fechada e repintada.
Segundo Martins, as paredes que não têm reforço aguentam objetos que pesem até 10 kg. Peças com até 18 kg devem ser instaladas nos perfis; acima disso, é preciso instalar um reforço.
Já no forro, as buchas especiais são suficientes para pendurar um varal ou uma luminária de até 3 kg.
Se o objeto pesar até 10 kg, as buchas devem ser fixadas no perfil de aço que sustenta o forro; acima desse peso, ele deve ser preso na laje ou em um reforço preso na laje.

VIGA FALSA
Durante a reforma da sala de estar, uma viga ficou aparente bem no meio do ambiente. Como não dava para rebaixar o forro -o pé-direito ficaria com apenas 2,10 m-, a saída foi alternar vãos e vigas falsas de gesso no teto, que também abriga iluminação indireta para deixar o ambiente mais aconchegante, conta a arquiteta Camila Miranda
QUEM FEZ VSM Arquitetura (www.vsmarquitetura.com.br) e gesseiro Donizete Lourenço (0/ xx/11/7550-3822)
QUANTO R$ 40 o m2 (forro) e R$ 30 o m2 (viga falsa)

LUMINÁRIA
Em um escritório sem janela, duas luminárias de gesso com acabamento de acrílico leitoso iluminam a bancada
QUEM FEZ Paula Mattar (www.paulamattar.com.br) e Marcelo Hallembeck (0/xx/11/3071-4141)
QUANTO R$ 60 o m2

PEDRA NA LAREIRA
Na sala de estar, a parede de "drywall" recebeu acabamento de mármore para abrigar a lareira
QUEM FEZ Fernanda Fernandes (fernandafp@terra.com.br)
QUANTO R$ 50 o m2 (placa de gesso) e R$ 650 o m2 (mármore)

FIOS E VARÃO ESCONDIDOS
Em vez de rebaixar todo o forro, a sanca de gesso embute a fiação elétrica e de som e o varão
QUEM FEZ Leonardo Junqueira (www.leojunqueira.com.br) e H.Gesso (0/xx/11/ 5873-8380)
QUANTO De R$ 20 a R$ 40 o m2

TEXTURA NO TETO
Na sala de televisão integrada ao living de um apartamento, o projeto aproveitou o pé-direito de 2,7 m para valorizar o ambiente com iluminação especial e sancas de gesso
QUEM FEZ Mariana Cecchini (www.arquimariana.com.br) e gesseiro Dedé (0/xx/11/3533-4992)
QUANTO R$ 46 o m2 (forro) e R$ 80 o metro (sanca)
 
 
   

MAIS NOTÍCIAS RELACIONADAS

Folha de São Paulo - 20/02/2011
Gesso resolve tudo
Folha de São Paulo - 20/02/2011
"Pacificação" aumenta o valor dos imóveis
Agência Estado - 17/02/2011
CEF inicia retomada de imóveis de programa na BA
Canal Executivo - 17/02/2011
Imóveis de dois quartos representaram mais da metade das vendas de dezembro em São Paulo
Canal Executivo - 17/02/2011
Venda de imóveis na cidade de São Paulo cresceu 51,7% em dezembro
InfoMoney - 17/02/2011
Preço de apartamentos usados sobe 1,8% em janeiro no Brasil
InfoMoney - 17/02/2011
Ano de 2010 foi de recuperação de lançamentos de imóveis residenciais
Reuters - 17/02/2011
Índice da Fipe aponta maior alta de preços de imóveis no Rio
Folha.com - 17/02/2011
Lançamento de imóveis cresce 18% em SP em 2010, aponta Secovi
Agência EFE - 16/02/2011
Ritmo de construção de casas nos EUA cresce 14,6% em janeiro
InfoMoney - 16/02/2011
Valor médio da cota de consórcios de imóveis cresce 14% em 2010
Folha.com - 11/02/2011
Construção civil espera crescer mais que o PIB em 2011
InfoMoney - 11/02/2011
Minha Casa, Minha Vida: SindusCon pede aumento do valor limite por unidade
Folha.com - 10/02/2011
Trabalhadores da construção civil fazem greve na Bahia
InfoMoney - 14/02/2011
Lançamentos e vendas de imóveis de luxo devem ficar estáveis em 2011
InfoMoney - 14/02/2011
SP: imóveis econômicos representam até 57% dos lançamentos no interior
InfoMoney - 14/02/2011
Preços de imóveis atingiram pico em 2010, diz Secovi-SP
Valor Online - 11/02/2011
Novo índice pode ajudar a identificar bolha imobiliária, diz FGV
Reuters - 11/02/2011
Índice da FGV aponta alta de 33,5% em imóveis comerciais em 2010
InfoMoney - 11/02/2011
Imóveis comerciais renderam 738% desde 2000, revela novo índice