SAIR
 
AXNews
Newsletter Aluísio Xavier
 
   
O Estado de São Paulo - 19/02/2011 | INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS
BC chinês eleva compulsório de bancos de novo
AUMENTAR A LETRA DIMINUIR A LETRA
Alta de 0,5 ponto porcentual é a oitava desde o início do ano passado e deve retirar US$ 55 bi de circulação; medida tenta combater alta da inflação
Dez dias depois de elevar a taxa de juros, o governo chinês aumentou mais uma vez o depósito compulsório dos bancos, para reduzir a quantidade de dinheiro em circulação na economia e tentar controlar a inflação e a alta no preço dos imóveis.


O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) foi de 4,9% de janeiro, quarto mês consecutivo em que o indicador ficou acima da meta de 4% fixada para 2011.

Os preços dos imóveis também continuam subindo, apesar das medidas restritivas impostas pelo governo para conter a especulação no setor. Em Pequim, a alta foi de 6,8% e em Chongqing, de 7,9%.

O banco central enfrenta dificuldade para diminuir a liquidez na economia, depois da expansão de 50% na base monetária nos últimos dois anos e do forte aumento do crédito em resposta à crise financeira global de 2008.

Só em janeiro as instituições financeiras concederam novos empréstimos no valor de 1,04 trilhão de yuans (US$ 158 bilhões). O valor é inferior ao excepcional 1,4 trilhão de igual período de 2010, mas está bem acima da média histórica para esse período do ano.

O governo elevou ontem o depósito compulsório em 0,5 ponto percentual, o que vai retirar de circulação 360 bilhões de yuans (US$ 55 bilhões), aproximadamente um terço do que foi injetado na economia em janeiro por meio do crédito bancário. Foi a segunda alta neste ano e a oitava desde o início de 2010.

O excesso na oferta de dinheiro em circulação está inflando o preço dos ativos, como ouro, commodities, obras e arte, ações e imóveis. Há um risco real de formação de bolhas, cujo estouro teria consequências devastadoras sobre o patrimônio de milhões de chineses.

O grau de insatisfação da população com o nível de preços alcançou o mais alto patamar em 11 anos no trimestre encerrado em dezembro, de acordo com pesquisa do BC chinês.



 
 
   

MAIS NOTÍCIAS RELACIONADAS

Folha.com - 22/02/2011
Santander aumenta capital em acordo com Zurich Financial
DCI Notícias - 22/02/2011
Bancos e fundos de investimentos detêm maior parte
Época Negócios - 17/02/2011
BB fecha 2010 com lucro líquido 15,3% maior
Agência Estado - 22/02/2011
Itaú Unibanco tem lucro de R$ 13,3 bi em 2010
O Estado de São Paulo - 18/02/2011
BC antecipa novas regras para os bancos
O Estado de São Paulo - 19/02/2011
BC chinês eleva compulsório de bancos de novo
Agência Estado - 20/02/2011
Bancos voltam a funcionar no Egito
O Estado de São Paulo - 21/02/2011
Emissão de boleto não pode ser cobrada
O Estado de São Paulo - 22/02/2011
Analistas rechaçam tese de subprime no Brasil
Folha de Pernambuco - PE - 18/02/2011
Magazine Luiza prospecta mercado local
Zero Hora - RS - 18/02/2011
Banco do Brasil aposta em empresas
Correio Braziliense - DF - 18/02/2011
Correios preparam licitação para selecionar parceiro no Banco Postal
Valor Econômico - SP - 18/02/2011
Itaú coloca executivo da casa na Redecard
O Estado de Minas - MG - 15/02/2011
Economia no cartão? Só para os lojistas
Zero Hora - RS - 15/02/2011
Banrisul planeja ofertar R$ 40 bilhões em 2011
Correio Braziliense - DF - 09/02/2011
Banco do Brasil poderá comprar até 75% do Banco Patagonia, da Argentina
O Estado de São Paulo - 09/02/2011
''Não surpreender não quer dizer que seja bom''
Estadão - 10/02/2011
FMI admite que ignorou sinais da crise global
O Estado de São Paulo - 10/02/2011
Em janeiro a nova política cambial teve pouco efeito
Estadão - 11/02/2011
ANÁLISE-Cortes de R$50bi não mudam projeções de aperto monetário