SAIR
 
AXNews
Newsletter Aluísio Xavier
 
   
Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - 21/02/2011 | DIREITO DO CONSUMIDOR
IDEC - Consumidor deve ficar atento se o preço da etiqueta é o mesmo no caixa
AUMENTAR A LETRA DIMINUIR A LETRA
Nem todo consumidor confere se o preço de um produto no caixa é igual ao cobrado na prateleira. São tantas reclamações que os supermercados decidiram substituir as etiquetas de papel por etiquetas eletrônicas.



Nossos repórteres fizeram uma pesquisa e descobriram um produto em que a diferença de preços passava de R$ 150.



No flagrante gravado pela nossa produção, o casal encontrou uma luminária por R$ 42, mas ao passar no caixa, o preço saltou para R$ 199. O homem reclama do código de barras. "Olha o código que eles colocaram aqui. Está escrito a mão", reclama.



A gerente dá um desconto e a luminária sai por R$ 79. O casal decide levar o produto.



Se o casal quisesse, poderia ter levado a reclamação em frente e procurado o Procon. Quando há dúvida sobre o preço da mercadoria, o Código de Defesa do Consumidor diz que vale sempre o menor valor. Casos assim são frequentes principalmente em supermercados



Se o preço está marcado errado, o problema é da loja. O preço deve estar acessível ao consumidor. Não cabe a ele ficar interpretando informação. "Ele não é obrigado a ficar conferindo minúcias, número de série do produto, número de código de barras, letras miúdas, qualquer informação que não seja prestada de forma clara pelo fornecedor", garante Lucas Cabette, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor.



Não foi o que Jornal Hoje encontrou em vários supermercados. Em um deles, não há nem etiqueta de preços. Em outra prateleira, uma única etiqueta.



Nas comidas congeladas, há uma única etiqueta para vários produtos, marcando R$ 14,90. No caixa, a lasanha de berinjela sai por R$ 19,90, cinco reais mais cara



O queijo custa R$ 3,59 na prateleira, mas no leitor de barras, custa R$ 3,99. São R$ 0,40 a mais. O atum é vendido a R$ 3,49, mas no leitor está R$ 0,50 mais caro. No caixa aparece o preço mais alto.



A funcionária admite que nem sempre as promoções são informadas aos caixas. "Às vezes eles mudam lá e não cai aqui no sistema", diz.



É com a implantação das etiquetas eletrônicas, em breve, que os supermercados querem reduzir falhas. "Um mecanismo que é atualizado simultaneamente, ou por rádio-frequência ou por infra-vermelho, ou outros sistemas que possam atualizar o preço da gôndola no mesmo momento. Isso vai dar muito mais segurança, muito mais agilidade ao processo todo", afirma Tiaraju Pires, da Associação Brasileira de Supermercados.



As etiquetas eletrônicas já estão sendo testadas em alguns supermercados do país.
 
 
   

MAIS NOTÍCIAS RELACIONADAS

Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - 21/02/2011
IDEC - Consumidor deve ficar atento se o preço da etiqueta é o mesmo no caixa
O Estado de Minas - MG - 18/02/2011
Demora em recall rende mais multas
Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte - 18/02/2011
Inadimplência em locação de imóvel gera condenação
Agência Brasil - 18/02/2011
Defesa do Consumidor multa empresas que demoram a fazer recall de produtos com defeito
IOB News - 18/02/2011
Ex-bancário condenado por desaparecimento de dinheiro de agência
Superior Tribunal de Justiça - 18/02/2011
Revendedora e fabricante respondem por defeito apresentado em carro zero
Tribunal de Justiça de Santa Catarina - 17/02/2011
Tribunal mantém pensão a mulher que engravidou enquanto usava anticoncepcional
Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas - 17/02/2011
Tribunal condena Banco Panamericano a pagar indenização de R$ 15 mil por danos morais
OAB/SC online - 17/02/2011
OAB - Código de Defesa do Consumidor vai mudar para abranger internet
Superior Tribunal de Justiça - 17/02/2011
Sócio avalista não pode recorrer em lugar de empresa que perdeu prazo
Tribunal de Justiça de Santa Catarina - 14/02/2011
TJSC - Dono de choperia de Joinville pagará indenização por agressão a cliente
Superior Tribunal de Justiça - 14/02/2011
STJ - Patrimônio em nome do controlador prova intenção de fraude e permite desconsideração da personalidade jurídica
Tribunal de Justiça de São Paulo - 14/02/2011
TJSP - Técnico de futebol não terá que indenizar jornalistas
Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul - 14/02/2011
TJMS - 1ª Turma Cível condena seguradora a pagar apólice
Exame.com - 09/02/2011
Consumidor pode buscar indenização por falta de luz
TJ Rio Grande do Norte - 04/02/2011
TJRN - Falta de prova impossibilita indenização por danos morais
Ministério Público do Rio de Janeiro - 11/02/2011
MPRJ - Liminar requerida pelo MP obriga Americanas.com a respeitar prazo de entrega de produtos
Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul - 11/02/2011
TJRS - Editora condenada por uso indevido de imagem
Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul - 11/02/2011
TJRS - Editora condenada por uso indevido de imagem
Superior Tribunal de Justiça - 11/02/2011
STJ - Reduzida indenização a homem inscrito em cadastro de devedor após ter documentos roubados